O prêmio Pritzker é considerado por muitos o nobel da arquitetura. Desde 1979, vem escolhendo um arquiteto para homenagear a cada ano. Portanto, já temos mais de trinta arquitetos que foram agraciados com a premiação. Idealizado por Jat Pritzker, o prêmio foi uma iniciativa para estimular um maior conhecimento sobre a arquitetura e também inspirar outros arquitetos mundo afora. Levando em consideração critérios baseados nos três princípios de Vitruvius – solidez, funcionalidade, beleza – o “nobel da arquitetura” vem nos apresentando o melhor da arquitetura a cada ano. A série apresentará alguns dos arquitetos premiados, seguindo uma ordem cronológica.

O único mexicano que recebeu o Prêmio Pritzker, é Luis Barragán, laureado em 1980. Nascido no ano de 1902 em Guadalajara, Barragán formou-se em engenharia.  Após viajar para Europa, Luís se encantou com o movimento modernista que estava ganhando força na época. Chegou a conhecer rapidamente Le Corbusier, que influenciou na formação de Barragán. O arquiteto mexicano mistura as linhas simples e as formas geométricas puras do modernismo com as cores fortes e vibrantes tradicionais do México. Após um tempo, Luis Barragán passou a se opor a ideia do funcionalismo alemão de que a casa deveria ser uma “máquina de morar”. Começou então a compor uma arquitetura que buscava um lado mais emocional ao projetar e chegou a afirmar que “qualquer obra arquitetônica que não expressa serenidade é um erro”. Uma das marcas nas suas obras era o uso de materiais rústicos, como pedras e madeiras, e a boa utilização da iluminação natural, que eram consideradas verdadeiras lições para outros arquitetos.

série_pritzker_arquitete_suas_ideias_01

“Dediquei-me à arquitetura como um ato sublime de imaginação poética…Ao ser premiado, também o são aqueles que perseguem a beleza e a poesia”

Além de trabalhar em projetos arquitetônicos, o arquiteto ficou bastante conhecido por seus projetos paisagísticos, como o do Jardines del Bosque em Guadalajara. Dentre suas principais obras estão a Fonte dos Amantes, a Casa Barragán, e as Torres de satélite.

Fonte dos Amantes

A fonte dos amantes faz parte de um projeto maior, a  Quadra de San Cristobal, um local que abriga estábulos, para a comunidade de cavaleiros. A fonte foi planejada para servir de bebedouro para os cavalos, e possui uma profundidade que alcança a barriga do animal.

Casa Barragán

Inaugurada em 1948 é uma das obras mais importantes do México, tendo sido reconhecida como Patrimônio da humanidade pela Unesco. Marcada pelas formas simples geométricas, o uso das cores vibrantes, características do regionalismo mexicano, e a decoração minimalista.

Torres de satélite

As torres de satélite estão localizadas no México, foram uma das primeiras esculturas urbanas de grandes dimensões. São formadas por cinco torres, sendo a mais alta com uma altura de 52 metros.

Fonte texto: Archdaily  Riarquitetura Westwing  Gazeta do Povo

Fonte fotos: Arqbacana  Plataforma Arquitectura  Gazeta do Povo