Perguntas para se fazer ao seu cliente arquitete suas ideias 02

Por melhor que seja o decorador, arquiteto ou designer, nenhum deles consegue (ainda) ler mentes. Eles podem ter sim um gosto único e individual e colocá-los em prática nos projetos, mas para entender os gostos dos clientes uma boa conversa é sempre o melhor caminho.

Então, na hora de fazer um projeto, tanto o profissional quanto o cliente precisam estar em sintonia para que o trabalho flua de maneira mais natural possível. Querendo ou não, esses profissionais por vezes fazem o papel de psicólogos, pois tem que entender e ouvir todos os desejos, dúvidas e anseios de seus contratantes. Ainda mais porque eles procuram por informações mais íntimas, o que as pessoas da casa gostam, o que fazem, o que detestam e principalmente os sonhos dos moradores.

Não é porque você fará uma reforma que deverá por exemplo trocar tudo de lugar ou jogar fora muitas coisas. A tendência do mercado é reaproveitar itens já usados e até mesmo dar uma nova cara para eles. Isso nos leva para a primeira pergunta a se fazer ao seu cliente: O que você mais gosta deste ambiente? Isso demonstra interesse no que seu cliente gosta e também permite que vocês conversem sobre o que poderia ou não ficar na nova decoração, sem impor nada que o cliente não gosta.

A segunda pergunta, depois da primeira é mais óbvia e é: O que você mais odeia neste ambiente? Saber o que o cliente realmente quer tirar ou trocar, ajuda o profissional a entender o gosto do momento, além de dar um norte para coisas que de jeito nenhum devem entrar na nova decoração. Mas lembre-se que gostos podem ser peculiares e o que é lixo para uma pessoa pode ser o luxo de outra.

A terceira pergunta é muito importante: Quais são as cores que você gosta? A resposta pode mudar completamente o projeto. Há pessoas que gostam desde os tons mais neutros até os mais berrantes e além disso, é necessário compreender qual a sensação que se quer passar dentro dos ambientes.

Perguntas para se fazer ao seu cliente arquitete suas ideias 01

Número quatro, assim como a 1 e a 2: Quais cores você odeia? Por mais bonita a decoração que você possa apresentar para seu cliente, se tiver ali no meio uma almofada roxa ou amarela e o cliente não gostar dela, todo seu projeto pode estar arruinado, pois ele vai ficar ficar lembrando sempre daquele ponto na imagem.

A próxima pergunta ajuda a entender o gosto do cliente em relação as cores: Você já esteve em algum lugar, ou viu algum lugar que serviu como inspiração de cor para sua casa? Pode ser uma figura da infância, uma viagem, ou até mesmo uma pintura. Às vezes um simples objeto de decoração pode determinar todas as cores em volta. E em uma reforma muita coisa pode mudar e transformar a sua casa.

Na sexta pergunta você já terá uma boa ideia do que o seu cliente pode querer: Você tem algum estilo favorito que queira utilizar? Fica mais fácil começar um projeto se você souber o que o seu cliente gosta, por exemplo, algo mais modernista, provençal ou até mesmo despojado e sustentável.

Mas nessa altura do campeonato você pode estar se perguntando, será mesmo que você ou seu cliente sabem quais cores ou estilos ele realmente gosta? A forma mais fácil de se ter a resposta para este questionamento é por meio de fotos. Peça para seu cliente separar imagens do que ele viu e gostou, ou alguma ideia que ele queria adaptar no seu projeto. Desta maneira torna-se mais exata a compreensão do que seu cliente espera alcançar com o seu projeto.

Perguntas para se fazer ao seu cliente arquitete suas ideias 04

Outra pergunta muito interessante é: Como você irá utilizar o cômodo? Por exemplo, um quarto é feito para dormir, mas também pode ser local de estudo, espaço para praticar alongamento, ver TV e até mesmo tocar bateria, por que não? Tudo depende de como a pessoa quer utilizar o ambiente e você deve estar preparado(a) para suprir essa necessidade.

Seguindo a lista, a oitava pergunta importantíssima: Há alguma necessidade especial que deve ser considerada? A pergunta se relaciona com aspectos como idade, locomoção e até mesmo se a pessoa tem alergias, por exemplo. Imagine que o cliente possa ter um parente que use cadeiras de rodas, logo as portas tem que ser pensadas para recebê-lo.

Já pensando na questão do tempo, a pergunta: Você quer atingir a totalidade do projeto tudo de uma vez ou em fases? Remete a o que profissional indicará para comprar ou fabricar primeiro, e depois o passo a passo no que deve ser colocado em cada fase da obra. Principalmente na parte da decoração, há coisas que podem vir depois de algum tempo, mas outras precisam estar no ambiente desde o início, para que se possa aproveitar o local de forma adequada.

Perguntas para se fazer ao seu cliente arquitete suas ideias 03

A décima e última pergunta é fundamental: Qual é o seu orçamento disponível? Como profissional, é preciso saber o que pode e o que não pode entrar em uma reforma. De nada adianta o cliente querer mil coisas se não há dinheiro suficiente, por exemplo. Cabe ao arquiteto, designer ou decorador saber também dosar a ânsia do cliente em querer comprar tudo que se vê pela frente ou dar opções mais baratas para que no fim o projeto se encaixe no orçamento. É preciso ter uma ideia de quanto o cliente quer e pode gastar, para que durante o processo seja feito o possível para que o orçamento inicial não exploda, pois convenhamos, é fácil se perder na hora de comprar coisas para decorar a nossa própria casa.

Independente do tamanho do projeto, ter um profissional auxiliando em todo o processo é o mais indicado. Soluções mais baratas e melhor pensadas podem mudar completamente o visual final da obra. Lembre-se que algo que é mudado durante o projeto tem um custo X, durante a obra tem um custo 5X e se for preciso mudar depois de tudo pronto o custo sobe para até 25X! Ou seja, sem acompanhamento a reforma que transformaria o lar, pode acabar se transformando em um pesadelo.

Você já fez uma reforma junto a um profissional do ramo? Como foi? Conte-nos os detalhes nos comentários!

Fonte: Houzz