Já pensou sobre como é a profissão do arquiteto?

Man using laptop next to scale model

1. Certos clientes não precisam de um projeto de arquitetura ou de interiores, mas de uma longa internação em clinica psiquiátrica para tratamento.

2. Quando pergunto a arquitetos ou designers de interiores o que de fato vendem, a resposta unânime é: “sonhos”. Acreditar nisso é o caminho mais fácil para cobrar pouco pelo projeto. Afinal, ninguém paga para sonhar.

3. As mulheres são as principais consumidoras dos projetos de arquitetura e de interiores. Quem melhor entende uma mulher? Outra mulher ou um homem?

4. Tenho a impressão de que certas mulheres não querem de fato reformar ou redecorar a casa. No fundo, gostariam de trocar de família, mas como isso não é possível, decidem fazer mudanças no ambiente na esperança de que algo de novo aconteça.

5. Ela não queria apenas uma cama nova. Renovou a decoração do quarto como um sinal para que o companheiro entenda seu esforço para mudar a relação desgastada. A esperança era de que com o gesto, o amor ressurgisse.

6. Todo cliente, quando constrói ou reforma, ouve alguém próximo: uma irmã que entende de arte, um cunhado engenheiro, um primo advogado, o filho mais velho, a filha mais nova. São os “fantasmas” que assombram o seu projeto.

7. Encontrei outro dia vagando pelas sombras um arquiteto que pensava entender a lógica no processo de tomada de decisões do cliente.

8. Saiu da reunião com o cliente convencido da aprovação do projeto. O problema é que clientes dormem e acordam com a maldita necessidade de mudar tudo o que haviam decidido.

9. A felicidade pessoal e a recompensa profissional podem andar juntas. Para isso, é preciso controlar o ego, a carência afetiva e aliar a habilidade de dizer não para o cliente sem deixá-lo ofendido.

10. Você só adquire personalidade profissional quando demite um cliente por absoluta convicção de que sem ele seu futuro será muito melhor.

11. Erros que se repetem mostram a incompetência do líder em conduzir seu grupo de trabalho na adoção de medidas que evitem os mesmos problemas. Só ver e reclamar dos erros e de quem erra não faz de alguém um verdadeiro líder.

12. Uma obra é um acampamento de Murphys, aquele da lei que diz: “se algo tiver que dar errado, dará”.

13. Mudanças constantes no projeto são como cólicas menstruais: sabe-se que virão regularmente e resignar-se é a única saída, além de Buscopan na veia!

14. Por que arquitetos e designers de interiores gostam tanto de viajar para o exterior? Para acordar no meio da “noite” e descobrir que é dia e não sofrer com insônia. Só mesmo o fuso horário para livrar do sobressalto da madrugada.

15. As madrugadas foram feitas para projetar porque o espírito e a mente se fundem nesse tempo e a criatividade brota farta. Ou será a pressão do tempo, a coca cola e o café que impingem um rigor menos critico e liberam a criação?

16. Bons fornecedores são como amuletos. Você os carrega para todos os clientes com uma fé inabalável de que tudo dará certo.

17. Arquitetos e Designers de Interiores têm um mesmo número cabalístico. É o 3. Por isso fazem 3 orçamentos para cada item do projeto.

18. A ética e a idoneidade não estão na apresentação de TRÊS opções de orçamentos para cada elemento a ser cotado.

19. Quando o cliente “descobre” algo que denota a não transparência na relação, a confiança no profissional estará abalada e começa a fase do rompimento.

20. Assim como taxistas, Arquitetos e Designers de Interiores devem cobrar bandeira 2 quando atendem depois das 20 horas ou durante os finais de semana.

21. O contrato é uma peça fundamental na relação com o cliente, mas se tiver que ser usado o amor entre as partes estará indelevelmente destruído.

22. Atuar sem metas mensais de faturamento é como jogar futebol sem traves.

23. O medo da verdade e o sabor amargo do insucesso inibem o controle das despesas e a apuração do lucro.

24. Só cobra pouco o profissional que não tem consciência do custo hora do seu trabalho.

25. Atenção! O Ministério do Bom Senso adverte: trabalhar em casa e não computar todos os gastos na operação pode destruir sua carreira.

26. Mais importante do que aquilo que se diz para o cliente são as idéias dele que você incorpora ao projeto.

27. As melhores ideias do cliente são sempre as suas ideias desde que ditas pelo cliente.

28. Clientes competidores usam a tática de ameaçar e desmerecer o seu serviço para levar vantagem na negociação. Se você permitir eles definem o seu preço.

29. O melhor momento para prospectar clientes é quando você tem clientes. Sem pressão e com o moral em alta você negocia melhor.

30. Negociar bem é manter o foco nos seus objetivos e buscar compreender os interesses da outra parte que sempre estão por trás das declarações verbais.

31. Quem se move pelo que pode ver, vive no passado. Construir o futuro é correr riscos para por em prática os seus sonhos.

32. Quem reclama do assistente que o abandona para abrir seu próprio negócio abdica do legítimo orgulho de ter seguidores.

33. A indicação é o melhor caminho para construir uma carteira de clientes com o mesmo desequilíbrio psicológico.

34. A obra é um ser orgânico constituído quase 100% de intestinos o que justifica a quantidade de cagadas.

35. Mistérios da vida: o que motiva um Arquiteto ou Designer de Interiores a enfrentar uma família durante a reforma de uma casa?

36. Não basta ser bem pago pelo projeto. É preciso ser aplaudido e reverenciado pelo cliente, pois somos artistas para mudar o mundo.

37. Só há uma forma de realmente surpreender o cliente: é morrendo no meio da obra.

38. Se há algo certo na sua vida profissional é que, mais cedo ou mais tarde, um casal vai brigar na sua frente.

39. Tudo bem que os Clientes têm um neurônio exclusivo para contrariar Arquitetos e Designers de Interiores. O problema é que alguns desses clientes nascem só com esse neurônio.

40. Quatro momentos na relação com os clientes. Estudo preliminar: paixão. O profissional é o guia dos sonhos. Projeto: conflito. Não há como pagar pelo sonho completo e é preciso eliminar coisas. Execução: desilusão. A dura realidade de conviver com os erros na obra. O sonho vira pesadelo. Final da obra: rompimento. O profissional desaparece e não lida com as reclamações do cliente.

41. A imagem que o cliente terá do profissional será marcada pelos últimos momentos da relação. Então, não fuja dele no final da obra!

42. Um excelente profissional só terá sucesso se aliar à capacidade de criar a habilidade de vender seu talento.

43. “Prospectar (buscar) clientes é admitir o insucesso em atrair indicações”. Quem pensa assim coloca sua carreira nas mãos do imponderável.

44. Selecionar clientes e lutar para conquistá-los coloca o profissional no comando do seu destino.

45. A curva de faturamento de um escritório de arquitetura e design de interiores se assemelha a um ambiente onde predomina picos e vales. Cena típica de quem só busca cliente depois que o último trabalho se encerra.

46. Já basta dormir do mesmo lado da cama há séculos. Por que ir sempre a Milão todos os anos se você pode descobrir coisas novas em outros lugares?

47. Ir a um evento profissional e conversar a noite toda com pessoas que você já conhece é perder a oportunidade de manter contatos que possam ser revertidos em negócios.

48. Não beba em eventos, coma pouco e revise os dentes, circule o máximo possível e defina uma meta de contatos novos a serem empreendidos. No dia seguinte envie e-mail ou agende visita.

49. Para ter sucesso rápido no início da carreira em arquitetura ou design de interiores no segmento residencial é preciso ter família rica. Uma avó ou tia com grana ajuda a construir um bom portfólio.

50. Não “pegamos” clientes até porque eles não são gripe. Os clientes não me vem, já que não é como menstruação. Você precisa definir um segmento de atuação e partir firme para conquistar clientes com toda a sua energia.

Texto de Ricardo J. Botelho para o ADFórum

Fonte da imagem